11 de outubro de 2017

Certificado Best Quality

Equipe da Moto Vena recebe o Certificado Best Quality 2012.

O Programa Best Quality é uma iniciativa de caráter motivacional da Moto Honda da Amazônia Ltda. aberta aos colaboradores do Pós Vendas das Concessionarias Honda, visando estimular e desseminar o conhecimento e o aprimoramento das atividades desenvolvidas em Serviços Pós Vendas. O Certificado de Premiação Best Quality só é concedido as Concessionárias com pontuação acima de 80% nas atividades do programa.

Parabéns para todos os colaboradores que participaram de mais uma conquista da Moto Vena.

11 de outubro de 2017

Teste: Honda PCX 150 é uma scooter que esbanja tecnologia

O Portal Online Moto.com.br, realizou um teste na nova Honda PCX 150 e declarou que:

Honda deu uma boa cartada no segmento de scooters no mercado brasileiro com o lançamento da PCX 150, uma moto moderna e que se destaca por uma tecnologia
que desliga o motor em paradas rápidas e o religa automaticamente quando acionado o acelerador. O equipamento é conhecido em carros como dispositivo idling
start-stop, mas a honda é a pioneira Motos com essa tecnologia no Brasil.

À primeira vista, o PCX 150 se diferencia dos outros modelos de scooters pelo seu design que remete mais agressividade e modernidade em relação aos demais modelos
que fazem parte desse segmento de veículo com características mais urbanas. O protuberante conjunto óptico, a farta carenagem e plásticos compõem o visual externo.
O painel de instrumentos oferece uma boa leitura das informações com velocímetro no centro e display digital para marcador de combustível, hodômetro, indicadores de
setas, luz espia da injeção eletrônica e aviso do sistema Idling. O assento inteiriço conta divisor da lombar para a posição do piloto e garupa.

Ao dar a partida no PCX 150 a impressão que se tem é ter ligado um scooter elétrico, pois o motor tem um funcionamento bastante silencioso. A arrancada inicial e as
acelerações surpreendem, inclusive em aclives, com força surpreende. Dificilmente você fica para trás nas saídas de semáforos em relação a outras motos nessa faixa de
cilindrada. O nível de conforto é bom, mas ao passar em obstáculos urbanos como valetas, lombadas e buracos, tão constantes em grandes cidades como São Paulo e
outras capitais, o acerto da suspensão não consegue fazer milagres e alguns trancos e solavancos são transferidos do scooter para a castigada e sofrida coluna do piloto
e do garupa. Lembre-se que desvios inteligentes são sempre bem vindos nessas situações.

O sistema Idling Star-Stop, que desliga e liga o motor, também se mostrou um recurso interessante para a economia de combustível. A cada parada de semáforo ou maior
do que três segundos, o sistema desliga o motor e o liga automaticamente ao se acionar normalmente o acelerador. Um processo praticamente imperceptível para o
motociclista e que a Honda diz que pode ajudar a economizar até 5,5% de combustível. Um cuidado importante é que ao parar no meio de um cruzamento, uma situação
delicada, o piloto pode optar por desligar o Idling momentamente por um botão no punho direito. Se o Idling é um recurso para economizar combustível, o PCX 150 ainda tem o reforço do ESP (Enhanced Smart Power) que atua no sentido de baixar a rotação do motor (alongando as relações de marcha) ao identificar uma velocidade constante no scooter. Mais um dispositivo curioso e que certamente deve ter contribuído para uma média de consumo de 40 km por litro durante nosso teste, cumprindo com louvor esse quesito.

Outro aspecto curioso do PCX 150 é o botão de acionamento da buzina, que fica acima do seletor das setas de direção, e por isso pode causar um pouco de confusão
ao fazer esses procedimentos. Enfim, nada que não se resolva com pouco de tempo para se familiarizar com a posição dos dispositivos. E para quem não abre mão de
porta objetos o scooter da Honda oferece 25 litros de espaço sob o assento, suficiente para guardar um capacete fechado e um pequeno compartimento no lado
esquerdo da coluna do guidão.

A Honda parece que tem grandes planos para o PCX 150 no Brasil já que a expectativa de vendas é de 10 mil unidades até o final de 2013. Para quem imagina que o
scooter menor Lead 110 está com os dias contados a marca japonesa diz que os planos são manter os dois modelos em linha, pois diz que são produtos distintos e
direcionados para públicos diferentes. O resumo da ópera é que o PCX 150 é o scooter moderno e pode ser mais uma opção interessante para quem deseja ingressar no
mundo das duas rodas.

FONTE: http://www.moto.com.br/capa.html

9 de outubro de 2017

Dicas de segurança: Viagens de Férias

Comprometida com a segurança no trânsito e atuante na conscientização de motociclistas de todo o Brasil, a Moto Honda da Amazônia, com o apoio do CETH (Centro Educacional de Trânsito Honda), preparou um guia básico de segurança para tornar a viagem de férias sobre duas rodas ainda mais prazerosa e tranquila. E, a Moto Vena mostra para você:

O que deve ser verificado?

A primeira coisa é ter sempre a mão o Manual do Proprietário, que traz todas as informações sobre os componentes da motocicleta e as revisões necessárias antes de seguir viagem. Além disso, a Moto Vena oferece, a inspeção de 21 itens de qualquer motocicleta Honda. Realizada em apenas uma hora, a avaliação identifica eventuais e principais problemas. É só entrar em contato conosco e agendar o atendimento.

Antes de curtir a viagem, também é importante estar atento à revisão dos seguintes itens:

Pneus – A calibragem deve estar de acordo com as especificações do Manual do Proprietário. Em alguns modelos, a pressão dos pneus deve ser maior caso a viagem seja realizada com garupa, compensando o peso extra sem perda de aderência. Também é importante verificar se há objetos presos nas rodas, como pregos e cacos de vidros ou se as mesmas estão com algum raio quebrado.

Lubrificação – Caso o nível do óleo esteja abaixo do indicado, é necessário preencher ou efetuar a troca, bem como substituir os filtros de óleo e de ar periodicamente. O sistema de transmissão também deve receber atenção, com a limpeza e nova lubrificação de corrente, coroa e pinhão. Aconselha-se realizar este processo também sempre que a motocicleta for usada em estradas de terra.

Freios – Cabos devem estar regulados e lubrificados. No caso dos hidráulicos, deve-se checar o nível do fluído. Se estiver abaixo do ideal pode ser sinal de desgaste excessivo das pastilhas ou de vazamento, fazendo-se necessária a inspeção imediata.

Elétrica – Verificar se todas as luzes estão funcionando perfeitamente (freios, piscas, lanterna, farol e painel) para garantir a visibilidade e segurança do motociclista e das pessoas do entorno.  O mau funcionamento da parte elétrica é considerado infração média, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, e pode ser multado.

Acessórios – É importante verificar se o capacete está dentro do prazo de validade e, ao utilizá-lo, se certificar de que o mesmo está bem adaptado, sem folgas ou sobras, e a viseira limpa e sem riscos. Recomenda-se também o uso de roupas claras, com fácil identificação pelos outros condutores. Calças e jaquetas de material resistente são indispensáveis, assim como botas e sapatos que protejam os pés, luvas e capas de chuva.

Pilotagem – Principalmente nas estradas, onde as velocidades são mais altas, é fundamental que o motociclista se mantenha dentro do ângulo de visão dos outros motoristas, evitando os ângulos em que eles não conseguem enxergar a motocicleta (ponto cego), mesmo com o retrovisor. “Na estrada é importante alertar, antecipadamente, os demais condutores sobre a intenção de manobra. Dessa forma, eles podem prever uma possível reação e evitar acidentes. Durante a pilotagem, manobras como ultrapassagens devem ser realizadas com rapidez e firmeza, sem desrespeitar os limites de velocidade. Acredite na sinalização da rodovia. Ela pode te ajudar e garantir a sua segurança. Também é importante nunca exceder as próprias habilidades, mantendo uma velocidade compatível com o percurso e condições do trânsito. E lembre-se, se beber, não pilote”, explica Terwak.

Motociclista Consciente – E não é só a motocicleta que precisa estar preparada para enfrentar as estradas. O motociclista precisa ter conhecimento sobre os equipamentos, acessórios e técnicas de pilotagem necessárias para uma viagem segura.

Recomenda-se ainda uma parada a cada 90 minutos para movimentar os músculos, com o objetivo de diminuir a fadiga e o cansaço gerado pelo vento. Seguindo todas essas orientações e respeitando o próximo, o motociclista poderá desfrutar da verdadeira sensação de liberdade de viajar sobre duas rodas.

 

Fontehttp://www.honda.com.br

4 de outubro de 2017

Dica de segurança: Postura Correta

Para garantir uma pilotagem segura, não basta apenas escolher a moto mais confortável e usar todos os acessórios imprescindíveis, como capacete e uma roupa adequada. Também é importante ficar atento à posição correta ao pilotar a moto, pois isso o deixará fisicamente melhor para encarar o trânsito e mais ágil para realizar manobras repentinas.

Confira algumas dicas da Honda:

1. A cabeça deve estar levemente levantada.
2. Sua visão deve estar o mais adiante possível, para antecipara qualquer reação.
3. Nas curvas não incline a cabeça junto com o corpo.
4. Manter a coluna ereta evita a fadiga e problemas posteriores com a coluna vertebral.
5. Os ombros devem ficar relaxados.
6. Os braços relaxados funcionarão como molas, ajustando a distância do tronco ao guidão.
7. As mãos devem segurar no centro das manoplas.
8. Os cotovelos devem ficar ligeiramente dobrados.
9. Os punhos devem ficar abaixados em relação a mão, na maior parte das motocicletas.
10. Ao sentar na moto, fique o mais próximo possível do tanque de combustível.
11. Os joelhos devem pressionar levemente o tanque de combustível.
12. Os pés devem estar paralelos ao chão, apontados para frente.

Agora que você já conferiu as dicas, encontre a motocicleta Honda ideal em uma das concessionárias da Honda Moto Vena!